Blog

“Entre safra” – Entre os dias quentes e frios

Saindo dos dias quentes e entrando nos frios, a pesca no mar fica um pouco confusa. Os peixes grandes não aparecem com freqüência e um dia que a pescaria tem tudo para ser a melhor, só aparecem peixes pequenos. Nas nossas caixas de iscas, o que reina são as iscas para as anchovas, olhetes, sororocas entre outros peixes grandes cobiçados. E se o mar não está nos dando peixes grandes? Essas iscas não vão pegar quase nada… Entra em cena as iscas ultra-lights (extra leves) para garantir a diversão. Essas iscas não passam de 5 centímetros e pesam até 7 gramas.

O equipamento indicado para esta pescaria consiste em um conjunto de molinete 1000, varinha de 8 libras de 7 pés e linha Squidgy Braid de 6 libras da Rapala com líder de 16 libras e snap. Procure varas maiores, a partir de 6 pés, lembrando que quanto maior a vara e mais fina a linha, mais longos serão os arremessos.

O local da pescaria é a região costeira das praias. Procure arremessar bem perto das pedras trabalhando a isca na meia água ou bem rente as pedras do fundo. As iscas indicadas são as de barbelas longas, como a Storm (DBTS 04), que alcançam maiores profundidades, capturando mais diversidade de espécies. Podem ser usadas também iscas que afundam (sinking), como a Mini Fat Rap. Essas de ação sinking, por serem mais pesadas, alcançam maiores distâncias no arremesso, possibilitando chegar mais perto das pedras, sem que o barco se aproxime tanto.

O trabalho mais indicado é o de ponta de vara, ou seja, após o arremesso, dê pequenos toques de ponta de vara para que a isca se movimente rápido e em seguida tenha uma parada. Isso pode ser rápido, com paradas mais longas ou bem rapidinho quase sem parar

As cores preferidas dos peixes de águas salgadas, são as verde-limão, cor de rosa, amarelas, cromadas e brancas. Claro que isso não é regra, podendo servir outras cores. Uma outra isca espetacular é o grub de 4 polegadas com jig head da Storm de 7 gramas. Os de cores brancas deram maiores resultados, pegando até robalos debaixo dos barcos atracados nas marinas. Nestes casos de marinas, arremesse o mais próximo dos barcos ancorados, deixe a isca afundar um pouco e comece a trabalhar a isca com a ponta da vara para cima e dê toques com a ponta da vara. Com esse equipamento e essas iscas, a pescaria se torna bem divertida, podendo pegar um grande numero de espécies e exemplares.

Os peixes que podem ser capturados nesse sistema são: badejo, garopa, ubarana, agulha, xarelete, robalo, sargo, salema, cioba entre outros peixes que vivem perto das costeiras, lages e parceis. Lembre-se que no meio destes pequenos, às vezes entra o grande. Prepare-se para a briga…

 

 

Texto: Roberto Conti

Fotos: Jum Tabata e R. Conti

Share

This entry was posted in Blog and tagged . Bookmark the permalink.

Deixe um Comentário

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.
Campos obligatorios marcados con asterisco (*)

*